A ORIGEM DAS DOENÇAS - Toxemia

Atualizado: 31 de mai.


Meus Caros!


A anatomia, fisiologia, bioquímica, tal qual as grandes ciências como a matemática, a física e a química evoluíram nos últimos anos de maneira sem precedentes. Ramos de conhecimento que de fato trouxeram sim inúmeros benefícios ao homem e a sociedade.


Porém, falando agora especificamente da medicina, da saúde e da doença, no que diz respeito à diagnose, etiologia e análise da origem das doenças, infelizmente ainda nos encontramos "na idade da pedra" nesses assuntos.


Isso porque até hoje, apesar de toda suposta evolução médico, científica e tecnológica, ainda não temos uma unanimidade ou compreensão uníssona de qual seria a origem ou origens daquilo que conhecemos como doenças, especificamente as doenças crônicas (câncer, diabetes, hiper e hipotireoidismo, lúpus etc).


Neste particular, acredita-se que as doenças são causadas por agentes externos ao corpo. Em especial, micro-organismo como bactérias, parasitas, fungos, prions, vermes etc. Tal ideia tem suas bases na Teoria do Germe preconizada por Louis Pasteur.








Louis Pasteur (1822 - 1895) foi um cientista francês, cujas descobertas tiveram enorme importância na história da química e da medicina. É reconhecido pelas suas notáveis descobertas das causas e prevenções de doenças.









Pois bem,


Referido senhor, em realidade, tratava-se apenas de um químico de renome. Não era médico, não clinicava e, salvo melhor juízo, não tinha qualquer tipo de profissão ou já esteve inserido a nível profissional na área da saúde.


Esse homem veio a cunhar aquilo que serviria de base para o conceito de doenças e patologias que temos como majoritário e "soberano" até os dias de hoje no seio da classe médica, que é aquele que acredita que a origem das nossas mazelas não vem necessariamente da nossa alimentação e do estilo de vida que levamos; mas sim, de seres microscópicos ou micro-organismo patógenos que estão em todas as partes para nos infernizar, causando, portanto, doenças e distúrbios diversos na saúde da população.


Não aprofundaremos por ora esse tema aqui, pois o objetivo deste artigo é te trazer um conhecimento honesto e verdadeiro sobre a origem das nossas mazelas de saúde. Em todo caso, deixo aqui como indicação o livro do Dr Alberto Peribanez (Cirurgia Verde) que, em seu Capítulo 6 (páginas 365 a 399), brilhantemente discorre muito bem sobre esse assunto e desmascara a ilusão que é a fraca, falha e mística Teoria do Germe de Pasteur, a qual, infelizmente, ainda serve de base para o pensamento acerca de doenças e diagnose até os dias atuais, sendo inclusive incorporada como Política de Estado no lidar com a saúde pública.




O conceito verdadeiro e honesto de doença foi cunhado, ainda lá no Século XIX, pelo médico higienista Dr John H. TILDEN (1851 - 1940) que definiu o conceito de TOXEMIA (Sangue Sujo), o qual podemos resumir como o acúmulo massivo e pernicioso de matérias tóxicas no corpo, seja fruto da sua própria atividade metabólica (anabolismo e catabolismo), bem como de fatores externos (alimentação tóxica, poluição ambiental, sonora, eletromagnética etc), que caracterizam e constituem o que costumamos definir como Estilo de Vida inapropriado ou ENERVANTE.

Através do desenvolvimento desse Estilo de Vida Enervante que o corpo se vê privado de energia (ENERGIA VITAL) que o possibilite operar a excreção ou drenagem de toxinas (produzidas ou inseridas artificialmente no corpo) pelas vias normais de eliminação (intestinos, rins e pele).









John Henry Tilden (1851 - 1940) era um médico americano mais conhecido nos círculos da saúde alternativa por suas críticas aos produtos farmacêuticos e por sua teoria que explica as doenças via "toxemia".









O acúmulo pernicioso de carga tóxica no sangue, oriundo de uma alimentação e estilo de vida errados foi, é e sempre será a base etiológica de toda e qualquer doença, distúrbio ou patologia.


As polêmicas e supostas "infecções oriundas de micro-organismos" pouco ou nada podem fazer, em termos de provocar danos ao organismo saudável. Tais infecções, tão logo sejam provocadas, o corpo se encontra plenamente apto para lidar com elas, muitas vezes na mesma velocidade, intensidade e proporção com a qual foram geradas; restabelecendo, assim, o organismo ao seu estado de equilíbrio homeostático que lhe é inerente.


Sim. O seu corpo foi feito para ter saúde e sempre irá buscá-la dentro das suas possibilidades. O estado de saúde é o estado natural do corpo. Já o estado que conhecemos como de doença trata-se apenas de um desajuste nesse estado natural de saúde que, repito, o corpo busca a todo instante.


E esse estado de doença que pouco ou nada compreendemos, basicamente, nas palavras de Tilden: "é fruto de um excesso ou estado crônico de Toxemia que é a verdadeira raiz de toda e qualquer doença ou patologia tais quais as conhecemos".


Inflamações, Rinites, Sinusites, Otites, Úlcera, Sífilis, Diabetes e até mesmo o próprio câncer tratam-se, em maior ou menor grau, de um complexo de sintomas provocados pela própria inteligência corporal numa tentativa heroica para se livrar de um acúmulo massivo de carga tóxica no sangue que não são eliminados pelas vias normais de eliminação (intestinos, rins e pele).


Nessa condição de toxemia, a inteligência corporal precisará, a depender de cada caso e variando de pessoa para pessoa, recrutar tecidos e órgãos que não possuem como função primária a drenagem, excreção ou eliminação de toxinas, como, por exemplo, as membranas mucosas, fígado, pulmões, pâncreas e vesícula para assim o fazê-lo de modo que se preserve a existência orgânica.


O resultado dessa obra é a ocorrência de inflamações (as chamadas doenças que terminam com o sufixo ite - gastrite, sinusite, prostatite, labirintite etc) que são fruto do contato da matéria tóxica sanguínea com esses tecidos e órgãos. A partir de então, começamos a presenciar ao longo dos anos um processo de deterioração orgânica, muitas vezes de idas e vindas, que acometem essas estruturas, o qual variará de pessoa para pessoa, a depender logicamente de como cada um conduz a sua vida. Alguns terão problemas digestivos, outros genitais, alguns respiratórios, articulares, de circulação etc. Problemas esses que são basicamente sintomas vicários de desintoxicação cujo objetivo maior é a eliminação de matéria tóxica acumulada no sangue por meio dessas "válvulas de escape".


Uma vez instalado esse estado crônico de Toxemia no organismo, o corpo, como dissemos, por sempre almejar a homeostase ou estado de equilíbrio de saúde, tem condições de se reequilibrar, desde que não seja atrapalhado no seu maravilhoso trabalho de autocura ou autoregeneração. Todavia, não bastasse esse acúmulo de toxemia que provocamos pelos péssimos hábitos de vida que atrapalha o corpo a restabelecer o estado de saúde, infelizmente também temos os tratamentos alopáticos por meio de remédios, vacinas e cirurgias promovidos pelos "mercadores de alma" da indústria médico farmacêutica.


Tais tratamentos ou intervenções, nada mais fazem do que aliviar temporariamente os sintomas desconfortáveis (febre, vômitos, constipação, inflamações, pedras nos rins etc) promovidos pelo próprio corpo, como dissemos há pouco, para reequilíbrio do seu estado de saúde. Contudo, infelizmente, na maioria das vezes esses tratamentos e intervenções agregam mais carga tóxica no organismo, debilitando ainda mais sua Força Vital de cura.


Igualmente, não nos ateremos aqui aos problemas que esses tratamentos podem vir a nos causar, pois será tema de outros artigos. Em todo caso, temos que ter em mente que: a melhor forma de se encontrar saúde se dá através do desempenho de um bom estilo de vida, sobretudo uma boa alimentação. E quando eu digo estilo de vida, faço alusão a uma série de condutas e hábitos a serem observados por todo aquele que almeja ou busca saúde plena. Dentre eles, podemos mencionar: o não uso contínuo de substâncias tóxicas como café, álcool, cigarro, drogas ilícitas, remédios e medicamentos, hábitos sexuais saudáveis, evitar o aborrecimento, cultivar uma mente saudável por meio de uma boa gestão da mente e das emoções, contato com a natureza, exposição moderada a luz solar, prática diária de exercícios, alimentação majoritária no consumo de alimentos vivos (frutas, vegetais, sementes, oleaginosas, brotos, legumes e cereais integrais), descanso e repouso etc.


Esses seriam os hábitos NÃO ENERVANTES ou APORTADORES DE ENERGIA VITAL que se bem cultivados, ativam o corpo no modo SAÚDE que lhe é natural. Quem adota esses hábitos e tem saúde permanecerá com saúde; por outro lado, quem não goza do estado natural de saúde terá restabelecida essa condição, de maneira que não haverá mais o acúmulo massivo e pernicioso de matéria tóxica no sangue. Deste modo, as toxinas eventualmente acumuladas e que provocam esse complexo de sintomas que chamamos de doenças voltarão a ser eliminadas pelas vias normais de eliminação, como deveria ser a regra, e o organismo volta a se reequilibrar. Eis então que acontece finalmente, no seu devido tempo, aquilo que aprendemos a chamar de cura, que nada mais é que o restabelecimento do estado de saúde verificado pela ausência de sintomas, que, como dissemos, é algo natural e inerente a todo organismo vivo.


A MORAL DA HISTÓRIA é que A DOENÇA, no final das contas, é UMA SÓ: TOXEMIA. Ou seja, acúmulo indiscriminado e massivo de carga tóxica na corrente sanguínea (autogerada ou inserida artificialmente) para além do grau de tolerância que o organismo pode suportar. O que faz com que esse, em sua grandiosa sabedoria dada pelo DOM DIVINO DA CRIAÇÃO, numa tentativa valente de sobreviver e preservar a vida, recrute tecidos, estruturas e órgãos cuja função principal não é a eliminação de toxinas. Tal processo, no curto prazo, provoca irritações e inflamações que se materializam em doenças agudas (febre, diarreia, vômitos, resfriados, sinusites, espinhas etc) e no médio longo prazo (mantidos os hábitos de vida enervantes) pode levar a deterioração orgânica através de doenças crônicas (câncer, diabetes, artrites, lúpus etc) e até mesmo a morte.


Assim sendo, ao invés de tapar sintomas e complicar ainda mais a vida, acelerando a morte pela via do artificialismo alopático supressor de sintomas por meio de vacinas, soros, remédios e cirurgias, devemos TRABALHAR NAS CAUSAS DOS PROBLEMAS SAÚDE, corrigindo os hábitos de vida enervantes. Tal prática foi, é e sempre será a solução para os nossos problemas de saúde, por mais que há milênios o Sistema que nos governa vem tentando nos convencer do contrário sem efetivo sucesso .


Por último, se você tem dúvidas sobre o que seria essa questão do enervamento, deixo aqui um vídeo bastante esclarecedor que postamos há algum tempo no nosso canal do Youtube (Naturopata Higienista), o qual eu peço humildemente desde já que nos dê uma força, fazendo a sua inscrição lá Ok?


No mais, o de SEMPRE:


Mente Livre, Corpo Livre.


Bj Bj!




122 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo